terça-feira, 20 de março de 2012

Okinawa (沖縄) - Sanshin (三線)

Como comentado no post sobre a História do Shamisen, seu desenvolvimento no Japão ocorreu a partir do Sanshin (三線) de Okinawa. O instrumento é um dos símbolos de Okinawa e particularmente, acho um instrumento sensacional e único. Ao contrário do shamisen que tem um som mais melancólico, o sanshin consegue expressar dois sentimentos totalmente diferentes, a alegria e a tristeza (veja também a postagem Kankara Sanshin).



O sanshin teve como precursor o sanxian chinês e é também um instrumento de três cordas com a caixa de ressonância coberta pelo couro da cobra Phyton. Atualmente, é também utilizado um couro sintético no lugar do couro de cobra, por ser mais resistente e barato, apesar de produzir um som mais agudo e que não se sustenta por tanto tempo (dizem que um sanshin de couro de cobra deve ser tocado todos os dias para que o couro não resseque e rasgue ... será isso verdade ou uma lenda que os senseis contam para que treinemos todos os dias? rs). Para tocar as cordas, é utilizado uma espécie de palheta feita originalmente a partir de chifre de búfalo ou boi, chamado "tsuno" (爪). Também podemos encontrar versões de plástico, madeira e cerâmica de variados tamanhos e formas.


As cordas são normalmente brancas (na região de Amami, as cordas são amarelas, como o shamisen japonês) e possuem nomes. A corda mais grossa é a uujiru (男絃), nakajiru (中絃) e miijiru (女絃). Os ideogramas que designam o nome para cada corda (男, 中 e ) significam literalmente, "homem", "meio" e "mulher", respectivamente. Para a afinação, as cordas são amarradas no karakui (カラクイ), também conhecidas como itomaki (糸巻き). Existem inúmeros tipos de karakui, cada um com detalhes e materiais diferentes, de acordo com o gosto do instrumentista.



Algo que achei muito interessante é que existem várias formas no braço do instrumento, influenciando no tempo de ressonância do som e volume (mais informações no site do Waoya shop, um fabricante de sanshin de Okinawa - http://www.waoya.jp/html/newpage.html?code=1). Além disso, outra fator que influencia na qualidade do instrumento é a madeira. Em Okinawa, são utilizados praticamente 3 tipos de madeira, o Yushichi (ゆし木), o Kamagon (カマゴン) e o Kuruchi (黒木), representados nessa ordem na figura abaixo. Nesta mesma ordem se dá a qualidade e o preço, portanto, o sanshin de Kuruchi é além de ser mais caro, o que possui normalmente um som de maior qualidade. 

As madeiras Yushichi, Kamagon e Kuruchi, respectivamente

Só para curiosidade, o Kuruchi é uma madeira bem escura, utilizada também para construir os violinos de alta qualidade e as teclas negras do piano, e sua madeira provém da árvore nobre que conhecemos no Brasil como ébano.



Esse instrumento vem atravessando gerações e continentes (tenho amigos que possuem sanshins do avô ou bisavô). Dizem que na vinda dos imigrantes ao Brasil, o sanshin era tocado todos os dias durante a viagem de aproximadamente 3 meses entre Brasil e Japão. 

Além das músicas folclóricas (minyo) e clássicas, o instrumento vem ganhando grande popularidade por acompanhar músicas atuais como pop e rock. Abaixo alguns vídeos dos tipos de música que citei acima (no primeiro vídeo temos o famoso Tetsuhiro Daiku sensei, que veio no Brasil ano passado, e no segundo, a banda pop Begin, que veio no Brasil em novembro de 2011):

Nenhum comentário:

Postar um comentário